14 jan 2013

Seu marido não ajuda?

Post por Isabela Kanupp às 07:03 em Feminismo

seu marido não ajuda

Na maioria dos grupos de maternidade nos quais faço parte ou modero, sempre rola o mesmo tópico, é quase um ritual materno. Que é reclamar do parceiro, falar que ele não “ajuda”, que é tão difícil trabalhar/estudar e cuidar da casa e criança e como o relacionamento está de mal a pior.

 

Vamos por partes?
Não sei vocês, mas quando eu engravidei e principalmente depois que a Beatriz nasceu me deu um tilt sabe? Aquela coisa de não ter olhos para mais nada, não querer saber mais nada da vida além de ficar ali olhando meu bebêzinho. Afinal, não é todo dia que deixamos de ser qualquer coisa que se foi para ganhar o adjetivo: MÃE.

Entendam que o mesmo processo acontece também com o homem.
Demora um pouquinho para entendermos o que aconteceu, e principalmente, para entendermos nossa nova responsabilidade.

 

“Meu marido não me ajuda!”

O primeiro passo é entender que seu marido não tem de te ajudar com a casa e com os filhos. Ele tem de fazer! Porque quem ajuda é pai, amigo, vizinho. Quem mora em uma casa tem responsabilidade de cuidar, limpar e zelar por ela. Independente de ser homem ou mulher.
Quando a gente engravida, não engravidamos sozinhas, ali teve a ajuda de um homem certo? Então amiga, o filho não é só seu! Não é só você que tem de limpar fralda suja, não é só você que tem de ser presente, que tem de educar, brigar, colocar de castigo e fazer comer. A responsabilidade é dos dois!

“Meu marido é tão bonzinho, até troca fralda!”

Como disse ele não está fazendo mais do que a obrigação dele como pai. É muito injusto a gente ficar com a maior parcela de criação de um filho só por sermos mulheres. Isso não é certo. O homem tem a MESMA responsabilidade e obrigações do que nós mulheres.
Sei que é complicado e que muitas vezes não há o que se fazer. Por exemplo, amamentar de madrugada é algo que nunca vi o porque do pai da Beatriz estar junto, já que era uma atividade solitária, era um momento meu e eu gostava disso. Porém SE VOCÊ sentir a necessidade do pai estar ali presente, não hesite. É obrigação dele sim acordar pela madrugada para cuidar do filho.

 

Como mudar isso:

Vivemos em uma cultura machista. Crescemos vendo todo esse comportamento passar de geração para geração e claro, achamos tudo isso normal. Afinal, sempre foi assim não é mesmo? Mas não é.

Imagina só que crescemos brincando de boneca e com nossos irmãos ou amigos brincando de carrinho. Já crescemos diretamente ou indiretamente com as nossas ” funções” pré definidas. A mulher cuida dos filhos, o marido sai por aí, trabalha fora, é o provedor!
Então imagina mudar todo esse comportamento? Sim é difícil, é complicado, mas é necessário.

Creio que o primeiro passo é mudar o nosso comportamento. Porque assim como os homens, também fomos criadas em uma cultura machista. A questão de ter de servir o marido. A questão de ” quer ser independente e trabalhar fora? então aguenta tudo sozinha”. A mulher que opta por trabalhar fora, acaba ficando com dupla ou até mesmo tripla jornada. Enquanto o homem que trabalha fora só tem aquela função. Se ele chega em casa e fica no sofá a sociedade não o cobrará por isso. Mas experimente fazer o mesmo depois de um dia de trabalho. Você será julgada como péssima dona de casa, péssima mãe, péssima mulher.

Nós precisamos entender que independente da escolha da mulher, se foi trabalhar fora ou ficar em casa, em ambos os casos SÃO cansativos e absurdamente desgastantes, se engana quem pensa que quem fica em casa não faz nada. E que só porque a pessoa fica em casa a maior parte dos serviços com a casa teria de ser dela. A responsabilidade da casa é de todos que vivem nela. 

Então precisamos entender primeiro isso. Ver como estamos reproduzindo esse machismo.  Combater isso primeiro. Parar de falar que fulano não ajuda, ou que fulano ajuda trocando até fralda. Entender que marido e/ou pai do seu filho não tem de ajudar e sim fazer. Pois é responsabilidade e não favor. 

Temos de entender também que nós fomos ” adestradas” desde pequena para sermos mães. Não é instinto. É construção social. Desde pequenas brincando com bonecas e que sim as mães sempre pegam mais no pé das filhas, para aprender a arrumar, cuidar, etc.
E gente a parte mais difícil: ensinar.
Explicar mil vezes como troca uma fralda. Acho que se quando a Bia nasceu alguém tivesse a paciência de ME ENSINAR teria sido tudo muito mais fácil para mim, então… imagina para um homem? Que é visto por ai como ” não tem obrigação de aprender/fazer” ?

Nós mães temos uma péssima mania de achar que só nós sabemos fazer, sabemos cuidar e poderemos proteger nossos filhos. Mas não é bem assim não. Entender que ele pode fazer de um jeito x e você de um jeito y e os dois estarão certos. Ensinar como se faz, e não ensinar como se faz do seu jeito.

E principalmente, ver que nós mães e pais temos a obrigação de criar filhos pronto para a vida. Independente de ser homem ou mulher. Cozinhar é para todos. Limpar uma casa também é. Trocar fralda suja é obrigação tanto do homem quanto da mulher.
Ensinar seu menino a fazer um arroz, a limpar uma casa, é mais questão de sobrevivência do que de qualquer outra coisa.

E sim, isso também é feminismo. 

 
Facebook | Instagram

Ajude o blog a continuar no ar.
Caso queira nos apoiar, poderá doar qualquer valor:

Caixa Econômica Federal Agência: 4490 – Operação: 013 – Conta Poupança: 3987-8
*Para doar não é necessário se cadastrar no PagSeguro ou no PayPal.

22 comentários para "Seu marido não ajuda?" | Adicione o seu »

  1. jan 14, 2013 @ 07:30 {Responder}

    Adorei o seu texto ( aliás, como é bom estar em férias e não só ler os blogs que gosto como ter tempo de comentá-los!) Falou tudo o que penso!Tudo mesmo!
    Aqui em casa, é claro que meu marido tem que participar da vida da minha filha e eu forço mesmo, sempre, sem remorsos, mas o problema é outro, bem mais profundo: ele nunca está em casa! Trabalha em outra cidade, no comércio e vê a nossa filha meia hora por dia no meio da semana- porque vou buscá-lo no ponto de ônibus, senão nem isso.
    Ele diz que não pode mudar as coisas, blá, blá, blá, mas eu coloco pra ele que tudo são escolhas.e que ele está fazendo uma péssima. Bem, esta é a nossa luta aqui em casa…não é fácil!
    Bj

    • Isabela Kanupp
      jan 14, 2013 @ 11:54 {Responder}

      Olha o pai da Bia trocou de emprego por conta disso, saiu de um certo para um duvidoso sabe? Porque ele trabalhava em um horário absurdo, ele chegava e a Bia estava dormindo, e quando a Bia saia para a creche ele estava dormindo. Conclusão, a Bia chorava na creche chamando ele e falando dele pra professora, ela sempre me perguntava e chegou a perguntar ao meu pai onde o pai dela morava. Tipo, ela nunca o via. As vezes temos de mudar algumas coisas para um bem maior.

      Beijos

  2. jan 14, 2013 @ 10:03 {Responder}

    Amei o post…
    Uma coisa que ajudou muito, foi elogiar sempre o que o marido faz. E, não adianta esperar, eles não conseguem ver o que precisa fazer. É pedir mesmo ou definir tarefas previamente. Quando fizemos isso, ajudou pra caramba!!
    Um beijo!!!

    • Isabela Kanupp
      jan 14, 2013 @ 11:52 {Responder}

      Sem contar que é questão de hábito né? Com o tempo eles já começam a fazer no automático, que nem a gente, vê algo e arruma. Listas é o canal sabia? Até eu funciono melhor com lista, visualizando ali o que tem de fazer.

      Beijos

  3. jan 14, 2013 @ 11:06 {Responder}

    Adorei a reflexão, eu penso assim também, educar os filhos é função dos dois.
    Só na parte da casa eu me encarrego de quase tudo, meu marido tem as suas tarefas, mas como ele passa o dia inteiro fora, trabalhando pra nos sustentar, cuidar da casa é a minha tarefa, é o meu trabalho. Eu não trago 1 centavo pra dentro de casa, então minha contribuição é cuidando da casa, o que já é uma coisa enorme. Mas quando ambos trabalham fora, marido e mulher, o cuidado da casa deve ser dividido entre os dois, em partes iguais.
    É o que eu penso.
    E eu também quero ensinar meus meninos a cuidar da casa, limpar, saber cozinhar, etc. E não para serem bons maridos, mas para terem independência e saberem se virar quando forem morar sozinhos.
    Chega desse machismo, cansei de ver mães que chamam as meninas pra ajudar a lavar louça e os filhos meninos ficam deitados no sofá. Isso é o fim.
    Tenha uma ótima semana, querida!
    Beijos!

    http://www.asosmamaenadia.com

    • Isabela Kanupp
      jan 14, 2013 @ 11:51 {Responder}

      Nádia tem de começar desde cedo. Tipo, meninos também serão adultos, talvez vão estudar longe de casa, morar sozinhos, ou vai saber as coisas que acontecem na vida. É necessário saber fazer as coisas, e eu vejo que a maioria das pessoas pegam no pé da menina, a menina cresce sabendo fazer tudo, e alguns meninos só aprendem na vida adulta! É muito complicado isso.
      Beijos

  4. jan 14, 2013 @ 11:34 {Responder}

    e se eu falar que comecei a ENTENDER isso qdo li a frase “pai nao tem q ajudar, tem obrigacao de fazer”.
    sim eu li isso aq. e pensando em tdo q estruturamos desde o inicio cm a chegada da mc, foi tdo tao natural, mas eu vi q a gente realmente divide as tarefas cm a casa e cm ela, e isso foi espontaneo. fiquei feliz, admito rs.
    nao q isso seja mil maravilhas o tempo todo, sempre um acaba sobrecarregado, mas essa coisa de “ajudar” me irrita, afinal eu nao “ajudo” ele a criar a nossa filha, pq o contrario seria normal?
    😀

    • Isabela Kanupp
      jan 14, 2013 @ 11:50 {Responder}

      Exatamente, essa a ideia do contrário, se pararmos para ver de outra forma soa tão absurdo, Tauana, você já ajudou seu marido a lavar a louça hoje? haha

      Então porque quando essa frase é dirigida a nós soa tão normal?

  5. jan 14, 2013 @ 11:46 {Responder}

    Já já eu leio o post (to com pressa agora), mas queria comentar uma coisa antes: semana passada mesmo eu escutei na TV um cara dizendo “eu não ‘ajudo’ em casa, eu faço (o trabalho doméstico)” e ele tá certo. O homem não tem que “ajudar”, ele tem q fazer, assim como a mulher tbm faz. A gente tem que parar de se referir às tarefas de casa como se fossem coisa de mulher, quem ainda pensa assim tá vivendo no passado.

    • Isabela Kanupp
      jan 14, 2013 @ 11:49 {Responder}

      É Béu, é necessário promover essa mudança de pensamento. Ver que já passou isso, que agora temos de ir mudando aos poucos mesmo que seja difícil, afinal, a vida toda fomos criados e ensinados assim.

      Beijos

      • jan 14, 2013 @ 20:16 {Responder}

        Po, o seu texto fala EXATAMENTE sobre isso… O_o (Acabei de ler. Nem preciso dizer que concordo, né?) huaha

  6. jan 14, 2013 @ 12:30 {Responder}

    Aqui em casa dês do início é assim, dividimos tarefas previamente, até hoje realizamos as mesmas tarefas e com a chegada do liam, dividimos novas tarefas relacionadas a ele, o problema é que ele é meio esquecido, se eu não avisar ás vezes ele esquece, mas isso é pra um monte de coisas, então sei que não é só com a casa rs

  7. Juliana
    jan 14, 2013 @ 12:39 {Responder}

    Eu acredito em uma coisa tbém: (gente desculpa se for redundante o q estou escrevendo é que não deu tempo de ler tds os posts)
    Acredito que quando o pai tem o trabalho em tempo integral e a mãe pode ficar em casa o serviço fica todo pra ela.
    Cito isso como meu exemplo aqui. Eu trab e estudo em meio período, sou autônoma. Meu marido trab período integral e fica difícil me ajudar em muitas tarefas. Na verdade ele faz o que dá dentro do tempo dele. Raras as vezes que se negou a me ajudar em alguma coisa. E também Não reclama qdo eu coloco o meu filho mais velho para arrumar a casa comigo sempre diz q o menino tem q aprender a cuidar da casa tbém pq come, toma banho e suja o ambiente que precisa aprender a ajudar a tds q moram dentro da mesma casa 😉

  8. jan 14, 2013 @ 13:30 {Responder}

    Adorei, muito bom o texto.
    Aqui em casa o pai participa bem pouco, foi criado por uma mãe tb machista, que só ensinou minha cunhada a cuidar de tudo. Já travei batalhas sem fim nesse sentido, com poucas vitórias. Tanto que isso contribuiu sim para abalar e muito o casamento.
    E por isso eu me empenho, todos os dias, a fazer diferente com meu filho. Envolvo o pequeno nas atividades, ele vai comigo pendurar roupa no varal, varrer a casa e tirar o lixo. Ele sim ajuda, pois é pequeno, mas é de pequeno que se ensina que a casa, a sujeira e a responsabilidade são de todos.
    bjos

  9. indianara
    jan 14, 2013 @ 19:55 {Responder}

    ainda lembro do 1° dia em casa com a minha beatriz,ela só chorava e queria mamar,e ai eu tava ficando louca,cutuquei meu marido e disse acorda ai que a resposabilidade é sua tambm,ai foi nós dois um fasia massagem na bariguinha e outro cantando,ai eu dava mama ela parava e fasia coco kkkkk hoje tudo isso fica como momentos ingraçados da minha vida de mãe sem experiencia,hoje eu me admiro por conseguir distinguir cada choro até as tentativas de falas da bia e posso diser q sou uma otima mãe

  10. jan 14, 2013 @ 21:03 {Responder}

    Meu Deuuuuussss… \o/
    Li e li pro marido!! Ele é uma ótima pessoa mas infelizmente sua criação foi de os homens da casa ficarem sentados e a mãe deles ficar como louca limpando e cozinhando!
    Acredita que até ‘dificuldade’ para cortar um pão ele tinha? Pois é, ainda é bem machista no assunto, mas rezo pelo dia q ele vai entender e me ajudar.
    (Confesso que me sinto as vezes na obrigação de dar conta da casa sozinha)
    Bjs.

    • Isabela Kanupp
      jan 14, 2013 @ 21:10 {Responder}

      gio, a gente se sente na obrigação né?Eu ainda sou pega por esse sentimento vez ou outra, mas não somos não. Que tu tenha paciência para ajuda-lo a entender isso e juntos serem companheiros. 😉

      Beijos

  11. jan 14, 2013 @ 21:27 {Responder}

    Parabéns pelo texto Kira. Gostei muito.

    Fico triste quando vejo essas mulheres lamentando sobre sua dura rotina nos grupos maternos. Não podemos e nem devemos assumir tudo sozinhas. Aqui, desde que namorávamos é assim. Nunca quis servir ninguém, sempre foi tudo meio a meio. E quando casamos esse nosso acordo tácito continuou.

    É sempre bom lembrar: será que essas mesmas mulheres que lamentam sobre suas duras rotinas, não são machistas o suficiente para aceitar os favores do marido? Será que elas dão uma educação diferente para os filhos ou só reproduzem os padrões?

    O texto está muito lúcido e elenca fatores importantes que merecem ser levados à reflexão.

    Beijo

  12. jan 15, 2013 @ 07:35 {Responder}

    Assino embaixo tudo o que vc diz, e existe muito preconceito, aqui em casa, sempre foi tudo muito natural, Adenil (meu esposo), sempre limpou a casa, cuidou das crias, fez comida, e minha mãe diz que eu não faço nada, só porque ele faz, eu acho o cúmulo, já fiquei muito brava com os comentários dela, e hoje eu não ligo. Nesses 8 anos que estamos juntos já tivemos variações, as vezes nós dois trabalhamos fora, as vezes só ele , ou só eu, e também foram aumentando os filhos, (risos). Acho uma questão de entendimento e sim de obrigação de ambas as partes zelar pela casa e pelos filhos.
    Temos 2 meninos e 1 menina, e concordamos em ensinar os 3 a cuidar de casa, a fazer comida, porque fazem parte dessa família e aqui todos tem de colaborar.
    Bjks

  13. jan 15, 2013 @ 19:44 {Responder}

    Oi

    Olha… eu já escrevi sobre isso algumas vezes. Sofro um preconceito enorme da família do meu marido e de alguns amigos porque não abraço o serviço de casa como minha obrigação.

    Ainda pior porque trabalho em casa, então rola aquilo assim: já que tá em casa, devia fazer, né? Acham um absurdo ele não mandar em mim e dizem até que eu mando nele porque o vêem lavando louça, cuidando das meninas, etc.

  14. jan 17, 2013 @ 12:16 {Responder}

    adorei.o pai da minha filha nunca trocou uma fralda… –,
    seguindo seu blog http://diariodaprincesaalice.blogspot.com.br/

  15. jan 18, 2013 @ 19:07 {Responder}

    Eu tenho que por uns homens pra ler isso… pq, né?

Deixe um comentário





  • * obrigatório